apres moi



é como se alguém tivesse morrido.
morreu, na verdade - mas continua por aí. A andar, a sentir (demasiado, talvez), a trair a nossa confiança, a beijar outros mundos.
morreu. ficou frio e estático e apático, impermeável a outras sensações que não as suas, independente de outros desejos. foi estrangulado, abatido pela força da desilusão de alguém, espancado sem remorsos, acabado.
(um fim sem mais nada que se lhe acrescente. o funeral deu-se e ninguém apareceu.)

afinal sempre se recebe de volta aquilo que se entrega.

1 comentário:

JLR disse...

Quando me vires, não me fales, não pestanejes sequer. Todos os gestos que fizeres serão inúteis e cairão no vazio que criaste.

desde 24 de Janeiro/2011

Com tecnologia do Blogger.