fluorescent adolescent


deixa as pessoas te inundarem, infesta-te e explode em gentes diferentes. procura-te em todo o lado e encontra-te no céu, que se estende para sempre, que cobre todos com uma expressão só. reconfigura-te. aceita que não serás sempre um e experimenta outros algarismos, deixa-te transformar, lê nos lábios de outros e de árvores e leva as palavras contigo. rouba o que é teu, o que experimentas, procura.
descola dessa cadeira tão velha e constante e não te canses, corre descaradamente, faz música e escreve nas paredes, constrói arte e deixa que ela te leve. fabrica-te no opiário que é teu - e vê.

misread




















i'm currently making some changes in my life. if you don't hear from me, you're one of them.
salvo raras excepções

movie star

mesmo a propósito,







e vendas novas, aqui vamos nós!
mais informações aqui

a call to arms


procura negar-te. procura recusar, virar as costas, complicar, explora o não e desvia o sim, esquece o que são boas maneiras e cospe.
em cima de um corpo limpo, de uma tábua rasa que ainda tem muito por completar, cospe com força e sem remorsos - o importante é sujar. incomodar. sujeita-te ao trabalho de te destacares, és negativo e sempre não recomendável, má influência e marginal. desiste e goza e ocupa e olha nos olhos sem medo de nada, porque medo não é nada, é de gente e tu estás para lá do racional. humano, limitado ou inconsciente, nada disso, muito pior, mais saboroso.














esta é daquelas coisas confusas, como tu dirias.
são daqueles dias que não são só um dia, que se multiplicam pelas horas e te fazem sofrer. que te obrigam a sarar feridas e a ver pessoas e enfrentar mais coisas. confusas, ambíguas, sabes lá.

work me out


o corpo dorido das expectactivas dos outros. procuras desajustar-te mas não encontras o teu lugar. matas a mosca que te ronda e incomoda, deixas de ser encarado como matéria podre, desesperas por vida.
mais um cigarro, senta-te e inspira. não olhes em volta, não hás-de querer ver desgraças - olha para ti e segue e frente, cabeça levantada e olhos postos no céu.

desde 24 de Janeiro/2011

Com tecnologia do Blogger.