reptilia



não sou, agora, nem mais nem menos do que a equação do que quero e me aconteceu.
aconteci-te, virei a rua e encontrei uma alma que era a tua, encontrei-te uma coisa ligada a mim. como se fosse minha, uma outra (p)arte de mim. fiz-me. procurei no que era meu e em ti ainda restava, sentei-me num banco de jardim e observei quem por mim passava, esqueci que era produto do casamento entre óvulo e espermatozóide, simples produto biológico. cavei fundo na sepultura de bichos raros e mentes brilhantes, sucedi-me e fiz-me explodir em explicações, racionalizações de canções de protesto, uma revolta silenciosa impedida de ser.

1 comentário:

Huguinho disse...

O primeiro Grande Texto Romântico da literatura portuguesa que inclui a palavra "espermatozóide".
Eu aprovo!
beijinhos sofia!

desde 24 de Janeiro/2011

Com tecnologia do Blogger.