hope there's someone



À minha volta a chuva miudinha caía no chão, suavemente, quase sem vontade, numa melancolia característica de um dia cinzento. Imóvel, eu continuava ali, à beira da estrada, porque a chuva não me afectava. O meu cabelo não escorria, as minhas mãos não estavam húmidas. Eu esperava por ti, a pensar em tudo o que ainda nos restava. A esperança de que chegasses protegia-me, como se os teus braços estivessem novamente à minha volta.

Mas chegaste e a chuva voltou a atacar-me – o teu regresso não trouxe o que eu queria. Foste mudo, surdo, cego. Chegaste? (Nunca notei.) Mais valia nem teres saído de casa.

8 comentários:

André disse...

Quando os regressos mais parecem partidas ... molha tolos

Morce disse...

Este deu-me vontade de chorar. Ás vezes passo pelo mesmo sabes?!
Quase nunca comento o teu blog, porque fico sempre sem nada para dizer depois das tuas palavras. Estás a escrever cada vez melhor. Continua, és o meu orgulho.
Beijinhos
AMANHÃ!!!!!!!

crème fraîche disse...

e essa imagem é linda =D


tnks pla visitinha e beijinho para si tb ;)

Joana disse...

está lindo, juro que está!
fogo mexeu mesmo este :O
escreves tão bem sophie.
gosto muitoo de ti :D

CAP CRÉUS disse...

Venho aqui muito de vez em quando, ma gosto sempre, pelo que escreves e pela musica.

Anónimo disse...

Cada vez que te leio fico mais surpreendida. Simplesmente lindo, mas tão enigmático. Fico a pensar se afinal te conheço assim tão bem?
Não interessa, o importante é que te adoro.
mãe

martini disse...

uhhh, e depois eu é que sou a revoltada? está muito bonito sofia, um pouco doloroso. (adorei o comentário da tua mae, acho que todos concordamos com ela) :) gosto muito de ti

Jo disse...

Post lindo miúda:)
Beijinhos

P.S.: Adoro a tua mãe:)

desde 24 de Janeiro/2011

Com tecnologia do Blogger.